Mozart, Rock e a Ativação da Criatividade



Artigo principal Conteúdo

Guilherme Macedo de Souza Tieppo
Germano Glufke Reis
Djair Picchiai

Resumo

A criatividade e o pensamento divergente são processos cognitivos envolvidos na geração de ideias e soluções novas, que podem contribuir com a inovação nas organizações. Os estudos sobre os antecedentes da criatividade têm focado características individuais, configuração de times e condições organizacionais; menos atenção tem sido dada à estimulação cognitiva. Nessa linha, o presente estudo investiga o efeito da estimulação cognitiva por meio da música sobre o pensamento divergente. Ele baseia-se nos estudos relacionados ao Efeito Mozart, que levaram à proposição de que a exposição à música pode induzir a um melhor desempenho, no curto prazo, em habilidades cognitivas específicas. Foi realizado um experimento com 133 estudantes de cursos de administração e de relações internacionais, divididos em diferentes grupos: dois foram expostos a estimulações musicais com estilos distintos (rock e Mozart) e outro não teve estimulação cognitiva antes da realização de tarefas criativas. O pensamento divergente foi avaliado por meio de uma abordagem subjetiva (método top 2 scoring). Observou-se, empregando a análise de variância (ANOVA), que os grupos expostos à música apresentaram maiores níveis de pensamento divergente, em comparação ao grupo controle. Implicações e limitações do estudo são discutidas.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Tieppo, G. M. de S., Reis, G. G., & Picchiai, D. (1). Mozart, Rock e a Ativação da Criatividade. Revista De Administração Contemporânea, 20(3), 261-282. https://doi.org/10.1590/1982-7849rac2016140048
Seção
Artigos