Evolução do ambiente competitivo da indústria de petróleo Argentina



Artigo principal Conteúdo

Maria Alice Ferreira Deschamps Cavalcanti
Jorge Ferreira da Silva
Jorge Manoel Teixeira Carneiro

Resumo

Este atigo analisa, por meio da metodologia de estudo de caso, a evolução da indústria de petróleo argentina no período de 1988 a 1996, resultante da desregulamentação iniciada em 1990, o reposicionamento estratégico da Yacimentos Petrolíferos Fiscales e seu conseqüente desempenho antes e depois da privatização ocorrida em 1993. As cinco forças competitivas (Porter, 1980) evoluíram de baixas para médias, tornando o ambiente competitivo mais hostil. A Yacimentos Petrolíferos Fiscales respondeu mudando de uma condição de baixa importância e/ou incoerência da maioria dos métodos competitivos (estratégia meio-termo), para uma uma nítida tendência à diferenciação (Porter, 1980). O seu desempenho evoluiu coerentemente com a sua mudança estratégica, passando de uma condição de prejuízo, expressa pelo ROA médio de -6,3% (1988-1990), para 11,4% (1994-1996).

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Cavalcanti, M. A. F. D., Silva, J. F. da, & Carneiro, J. M. T. (1). Evolução do ambiente competitivo da indústria de petróleo Argentina. Revista De Administração Contemporânea, 5(1), 23-41. https://doi.org/10.1590/S1415-65552001000100003
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Maria Alice Ferreira Deschamps Cavalcanti, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro

Mestre em Administração de Empresas pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Professora Assistente do Departamento de Administração da Universidade Estácio de Sá, além de Analista de Planejamento Estratégico da Petrobrás. Sua área de interesse em pesquisa é gerência estratégica.

Jorge Ferreira da Silva, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro

Doutor em Engenharia de Produção pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Professor da Escola de Negócios da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, com interesse em pesquisa na área de gerência estratégica.

Jorge Manoel Teixeira Carneiro, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro

Mestre em Administração de Empresas pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Professor Assistente do Departamento de Administração da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, além de Diretor da iBest. Suas áreas de interesse em pesquisa são gerência estratégica, análise de investimentos.