Estrutura de capital e remuneração dos funcionários: evidência empírica no Brasil



Artigo principal Conteúdo

Duk Young Choi
Richard Saito
Vinicius Augusto Brunassi Silva

Resumo

Este artigo analisa se uma empresa com maior alavancagem financeira implica que seus funcionários demandem maiores salários dado o risco de financial distress. Utilizando o modelo de Berk, Stanton e Zechner (2010), foi aplicada uma regressão de dois estágios para uma amostra de 250 empresas não financeiras listadas na BOVESPA de 2007 a 2009. De fato, encontrou-se que, para cada 1% de alavancagem financeira incremental, a remuneração dos funcionários aumenta em 0,26%, mesmo controlando para o perfil do Chief Executive Officer (CEO).

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Choi, D. Y., Saito, R., & Silva, V. A. B. (2015). Estrutura de capital e remuneração dos funcionários: evidência empírica no Brasil. Revista De Administração Contemporânea, 19(2), 249-269. https://doi.org/10.1590/1982-7849rac20151600
Seção
Artigos