Perspectiva Institucional dos Sistemas de Informação em Saúde em Dois Estados Brasileiros



Artigo principal Conteúdo

Vanessa Marques Daniel
Gabriela Viale Pereira
Marie Anne Macadar

Resumo

Os Sistemas de Informação em Saúde (SIS) são artefatos tecnológicos que respaldam gestores das três esferas governamentais a obter informações imprescindíveis para apoiarem a gestão e o planejamento do Sistema Único de Saúde (SUS). Neste estudo, foi escolhida a Teoria Institucional como lente teórica para analisar a incorporação de SIS na saúde pública brasileira, uma vez que pode existir uma influência direta do ambiente organizacional. Esta perspectiva possibilita encontrar explicações à influência dos fatores ambientais, sejam eles de cunho coercitivo, normativo ou mimético, no momento da decisão do uso de tecnologias em governos. O objetivo do artigo é verificar a influência desses fatores institucionais na utilização dos SIS pelas Secretarias Estaduais de Saúde (SES). Para atendimento do objetivo da pesquisa, optou-se por uma abordagem qualitativa, com estudos de casos múltiplos nas SES dos estados do Paraná e Rio Grande do Sul, tendo como unidade de análise o Sistema de Informações de Mortalidade (SIM) e o Sistema de Informações Hospitalares Descentralizado (SIHD). Com base no modelo conceitual proposto, foram apresentados diferentes fatores institucionais que influenciam na utilização dos referidos SIS, na forma de pressões coercitivas, miméticas e normativas.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Daniel, V. M., Pereira, G. V., & Macadar, M. A. (1). Perspectiva Institucional dos Sistemas de Informação em Saúde em Dois Estados Brasileiros. Revista De Administração Contemporânea, 18(5), 650-669. https://doi.org/10.1590/1982-7849rac20141709
Seção
Artigos