Estrutura, agência e interpretação: elementos para uma abordagem recursiva do processo de institucionalização



Artigo principal Conteúdo

Clóvis L. Machado-da-Silva
Valéria Silva da Fonseca
João Marcelo Crubellate

Resumo

A teoria neo-institucional tem sido caracterizada por alguns estudiosos do campo dos estudos organizacionais como uma abordagem supostamente determinística. Demonstramos no presente ensaio teórico que tal caracterização não pode ser impingida à perspectiva neo-institucional de maneira generalizada, mas apenas a uma leitura dicotômica dela, típica de visões monoparadigmáticas do processo de institucionalização. A partir dessa demonstração, defendemos a idéia da teoria institucional como teoria multiparadigmática. Para tanto, apresentamos argumentos em favor de uma abordagem recursiva do processo de institucionalização, ressaltando que as noções de estrutura, agência e interpretação são mais apropriadamente tratadas quando definidas como elementos fundamentais da institucionalização como processo recorrente, garantido e condicionado, não determinado, por certo grau de estabilização dos sistemas sociais. Concluímos o ensaio com considerações metodológicas sobre as conseqüências do uso da proposta de abordagem sistêmicoprocessual recorrente da institucionalização para o desenvolvimento de pesquisas no campo dos estudos organizacionais.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Machado-da-Silva, C. L., Fonseca, V. S. da, & Crubellate, J. M. (2018). Estrutura, agência e interpretação: elementos para uma abordagem recursiva do processo de institucionalização. Revista De Administração Contemporânea, 14(spe), 77-107. https://doi.org/10.1590/S1415-65552010000600005
Seção
Artigos