Inovações contratuais em mercados futuros: o caso do boi gordo na BM&F



Artigo principal Conteúdo

Sérgio Giovanetti Lazzarini
Décio Zylbersztajn
Fábio Seiji Takaki

Resumo

Este trabalho analisa o mercado futuro de boi gordo na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F), visando a testar o efeito de inovações contratuais e outras variáveis exógenas com respeito ao nível de posições (número de contratos em aberto) e de negociação entre 1993 e 1996. O desenho contratual prévio especificava a liqüidação por entregas físicas, induzindo problemas associados a ações oportunistas, custos de monitoramento e, portanto, altos custos de transação aos participantes do mercado. A primeira alteração contratual buscou reduzir estes custos centralizando as entregas em único ponto; a segunda eliminou o processo de entregas físicas, realizando liqüidação financeira por meio de um índice de preços. Testes foram realizados, usando regressões estruturais e de séries de tempo, especificando a primeira diferença do número de contratos em aberto como variável endógena. O efeito de ambas as inovações, mensuradas por variáveis dummy, foram positivas e significativas. Custos de impacto de mercado (parte dos custos de transação ex-ante) e a variabilidade de preços no mercado físico (mensurada pela variância condicional em processo GARCH) foram também significativas, apresentando efeitos negativo e positivo respectivamente, o que é consistente com a teoria.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Lazzarini, S. G., Zylbersztajn, D., & Takaki, F. S. (1). Inovações contratuais em mercados futuros: o caso do boi gordo na BM&F. Revista De Administração Contemporânea, 2(3), 7-26. https://doi.org/10.1590/S1415-65551998000300002
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Sérgio Giovanetti Lazzarini, Universidade de São Paulo

Mestre em Administração pela Universidade de São Paulo. Pesquisador do Programa de Estudos dos Negócios do Sistema Agroindustrial da Universidade de São Paulo. Suas áreas de interesse em pesquisa são teoria das organizações, gerenciamento de riscos, coordenação de sistemas agroindustriais.

Décio Zylbersztajn, North Carolina State University

Ph.D. pela North Carolina State University, USA. Professor do Departamento de Administração da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo. Coordenador do Programa de Estudos dos Negócios do Sistema Agroindustrial da Universidade de São Paulo. Suas áreas de interesse em pesquisa são teoria das organizações, nova economia das instituições e coordenação de sistemas agroindustriais. 

Fábio Seiji Takaki, Universidade de São Paulo

Acadêmico de Administração pela Universidade de São Paulo. Assistente de Pesquisa do Programa de Estudos dos Negócios do Sistema Agroindustrial da Universidade de São Paulo. Suas áreas de interesse em pesquisa são finanças e coordenação de sistemas agroindustriais.