As debilidades estruturais das organizações: o exemplo ibérico



Artigo principal Conteúdo

Arnaldo Coelho
Filipe Coelho

Resumo

A partir dos resultados de um inquérito realizado junto de 187 empresas portuguesas e catalãs, pretendeu-se estudar a possibilidade de existir um déficit de estruturação entre estas empresas, susceptível de limitar a sua produtividade e a sua competitividade. As características específicas deste tecido empresarial, onde prevalecem empresas de pequena dimensão, com uma gestão familiar autodidacta, podem criar um quadro inibidor do desenvolvimento de uma vontade organizadora e que mantém muitas destas empresas amarradas a um estado pré-organizacional. Quando seria de esperar que estas empresas, que reconhecem estar a enfrentar um ambiente mais complexo, mais variável e mais hostil, estivessem a aligeirar e a flexibilizar as suas estruturas organizativas, assiste-se ao reforço generalizado destas, que parece coincidir com o reconhecimento desta necessidade. A confirmar-se este déficit, a sua resolução poderá ser um factor incontornável para reconduzir estas empresas na senda da competitividade.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Coelho, A., & Coelho, F. (1). As debilidades estruturais das organizações: o exemplo ibérico. Revista De Administração Contemporânea, 7(spe), 143-164. https://doi.org/10.1590/S1415-65552003000500008
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Arnaldo Coelho, Universidade de Barcelona

Doutor em Organização de Empresas pela Universidade de Barcelona, Espanha. Professor da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, Portugal. Suas áreas de interesse em pesquisa são estruturação de organizações, gestão das pequenas e médias empresas e das empresas familiares, estratégias relacionais, marketing de relacionamento.

Filipe Coelho, Manchester Business School

Doutor em Marketing pela Manchester Business School, UK. Professor da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, Portugal. Suas áreas de interesse em pesquisa são estruturação dos canais de distribuição, orientação para o mercado, orientação para o cliente.