Alianças estratégicas: conceito e teoria



Artigo principal Conteúdo

Marcelo Cabus Klotzle

Resumo

Apesar da crescente importância das alianças estratégicas nos dias atuais, pouquíssimos estudos relacionados à formação e à consolidação de parcerias nacionais e internacionais têm sido desenvolvidos no Brasil. Um dos motivos para tal deficiência é a ausência de um referencial teórico consistente, que sirva como base para o desenvolvimento de estudos empíricos sobre alianças estratégicas no Brasil. Esse artigo procura fechar essa lacuna e analisar duas teorias consideradas relevantes para o estudo de parcerias estratégicas: a teoria dos recursos empresariais e a teoria de aprendizagem organizacional. Os diversos estudos apresentados no decorrer deste trabalho, mostram que ambas as teorias parecem bem apropriadas para examinar parcerias estratégicas. Isso se deve a dois fatos: em primeiro lugar, muitas vezes tais alianças são usadas pelas empresas como forma de ganhar acesso aos recursos valiosos das parceiras. Em segundo lugar, o sucesso de uma aliança estratégia depende muito de todo o processo de transferência de conhecimentos e habilidades no decorrer da parceria.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Klotzle, M. C. (1). Alianças estratégicas: conceito e teoria. Revista De Administração Contemporânea, 6(1), 85-104. https://doi.org/10.1590/S1415-65552002000100006
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Marcelo Cabus Klotzle, Universität Eichstätt

Doutor pela Katholischen Universität Eichstätt, Alemanha. Vice-Coordenador da Graduação e Professor do Departamento de Administração da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Suas áreas de interesse em pesquisa são alianças estratégicas internacionais, competitividade internacional.