Capacidade Relacional e Alianças Estratégicas de Pesquisa e Desenvolvimento

Taísa Scariot Preusler, Priscila Rezende da Costa, Tatiane Baseggio Crespi, Geciane Silveira Porto

Resumo

Contexto: a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária tem exercido importante papel em pesquisa e desenvolvimento para a geração de inovações. Grande parte dessas inovações é devida às alianças de pesquisa e desenvolvimento com parceiros externos, estimulando potencialmente a capacidade relacional, isto é, um construto de gestão estratégica de alianças, com proposições processuais ainda não verificadas empiricamente. Objetivo: o objetivo geral deste estudo foi explorar como os processos da capacidade relacional podem contribuir para a geração de inovações. Métodos: realizou-se uma pesquisa qualitativa, utilizando o método de estudo de caso, a partir de entrevistas, análise documental e observação. Três alianças estratégicas de pesquisa e desenvolvimento, envolvendo a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária e parceiros externos, constituíram o corpus de análise. Resultados: a principal contribuição para o avanço do conhecimento foi um modelo interorganizacional para geração de inovações, a partir de alianças estratégicas de pesquisa e desenvolvimento, fundamentado nas evidências empíricas dos processos da capacidade relacional da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária e dos seus parceiros externos. Conclusão: esse novo modelo fornece mais clareza sobre como uma empresa pública de pesquisa absorve conhecimento e evidencia, de forma inédita, os processos de institucionalização e de transbordamento da capacidade relacional.

Palavras-chave

inovação agropecuária; alianças estratégicas de pesquisa e desenvolvimento; capacidade relacional

Texto completo:

PDF (English) PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.
';