Confiança dentro das organizações da Nova Economia: uma análise empírica sobre as conseqüências da incerteza institucional



Artigo principal Conteúdo

Marco Tulio F. Zanini
Edward J. Lusk
Birgitta Wolff

Resumo

Este estudo investiga os efeitos de diferentes arcabouços institucionais sobre os níveis de confiança interpessoal dentro de hierarquias. Seguindo as tendências apresentadas por estudiosos da Nova Economia e por relatórios da Organização Internacional do Trabalho [OIT] que apontam significativas mudanças no modelo de contrato de trabalho, este estudo investiga possíveis diferenças nos níveis de confiança entre dois paradigmas: a Velha Economia ea Nova Economia. Mudanças institucionais ocorridas na Nova Economia, que resultaram em alta incerteza institucional, influenciam consideravelmente o desenvolvimento da confiança interpessoal dentro das empresas. Utilizando um questionário manual, aplicado dentro de sete empresas privadas brasileiras, o estudo buscou mensurar a confiança como uma variável dependente. Da revisão da literatura especializada e observação empírica da realidade destas organizações, as empresas foram identificadas e classificadas dentro de diferentes grupos. O estudo conclui que a relativa alta incerteza ambiental limita consideravelmente o desenvolvimento de níveis de confiança dentro das empresas que operam na Nova Economia.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Zanini, M. T. F., Lusk, E. J., & Wolff, B. (1). Confiança dentro das organizações da Nova Economia: uma análise empírica sobre as conseqüências da incerteza institucional. Revista De Administração Contemporânea, 13(1), 72-91. https://doi.org/10.1590/S1415-65552009000100006
Seção
Artigos