[1]
F. de M. Carvalho, E. K. Kayo, e D. M. L. Martin, “Tangibilidade e intangibilidade na determinação do desempenho persistente de firmas Brasileiras”, Rev. adm. contemp., vol. 14, nº 5, p. 871-889, 1.