[1]
A. Coelho e F. Coelho, “As debilidades estruturais das organizações: o exemplo ibérico”, Rev. adm. contemp., vol. 7, nº spe, p. 143-164, 1.