[1]
M. C. Misoczky, “Implicações do uso das formulações sobre campo de poder e ação de bourdieu nos estudos organizacionais”, Rev. adm. contemp., vol. 7, nº spe, p. 9-30, 1.