Desempenho das empresas brasileiras: efeitos ano, ramo de negócios e firma individual



Artigo principal Conteúdo

Luiz Artur Ledur Brito
Flávio Carvalho de Vasconcelos

Resumo

O desempenho varia. Esta simples afirmação esconde muito da complexidade da estratégia. Já que o desempenho varia entre empresas individuais, os pesquisadores podem explorar os fatores que diferenciam estas empresas entre si e explicar por que algumas firmas consistentemente apresentam melhor desempenho do que outras. Já que o desempenho varia entre diferentes ramos de negócios, os pesquisadores podem explorar as características estruturais destes ramos como uma das causas de variação. Já que o desempenho varia com o tempo, os pesquisadores podem explorar elementos dinâmicos do ambiente e internos que determinam as decisões estratégicas. Na realidade, a medição e análise do desempenho torna-se muito complicada quando todas estas fontes de variação agem de forma simultânea e integrada. A discussão teórica por trás desta questão é a importância relativa da abordagem derivada da organização industrial versus a visão baseada em recursos. Este trabalho analisa a variância do desempenho de um conjunto de empresas brasileiras no período 1998-2001. Os resultados demonstram que os efeitos firma são ainda dominantes, com os efeitos ano e ramo de negócios apresentando-se menores configurando uma situação similar ao encontrado no ambiente norte americano.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Brito, L. A. L., & Vasconcelos, F. C. de. (1). Desempenho das empresas brasileiras: efeitos ano, ramo de negócios e firma individual. Revista De Administração Contemporânea, 9(spe1), 65-85. https://doi.org/10.1590/S1415-65552005000500004
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Luiz Artur Ledur Brito, Fundação Getulio Vargas

Doutorando em administração de empresas pela EAESP-FGV, graduado em Engenharia Química pela UFGRS. Professor do departamento de Operações da EAESP-FGV. Suas áreas de interesse em pesquisa são estratégia e operações.

Flávio Carvalho de Vasconcelos, Ecole dês Hautes Etudes Commerciales

Doutor em administração de empresas pela HEC-Ecole dês Hautes Etudes Commerciales /Paris, mestrado e graduação pela EAESP-FGV. Professor do departamento de Administração Geral e Recursos Humanos da EAESP-FGV. Suas áreas de interesse em pesquisa são estratégia e teoria organizacional.