A prática social de gerentes universitários em uma instituição pública

Artigo principal Conteúdo

Adriana Ventola Marra
Marlene Catarina de Oliveira Lopes Melo

Resumo

A ação e o trabalho gerenciais são práticas sociais; ou seja, devem ser compreendidos a partir da inter-relação dos planos organizacional e comportamental com o contexto da sociedade em que a organização e seus gerentes estão insertos. Com base nesse pressuposto e com o objetivo de caracterizar e analisar as práticas gerenciais de professores com cargos de chefia intermediária em sua ação cotidiana, foi realizado um estudo de caso em uma Universidade Federal. A pesquisa foi desenvolvida utilizando-se estratégia qualitativa. Os dados revelam que as atividades gerenciais na universidade estão diluídas e incorporadas em práticas sociais, realizadas sem planejamento, imperando o imediatismo e o improviso. Algumas peculiaridades da gestão universitária, tais como cargo colegiado, burocracia, fatores políticos, jogo de poder, falta de formação administrativa, administração dos pares, caráter transitório do cargo e a própria cultura da universidade pública, aumentam o caráter contraditório e os conflitos inerentes à função gerencial.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Marra, A. V., & Melo, M. C. de O. L. (1). A prática social de gerentes universitários em uma instituição pública. Revista De Administração Contemporânea, 9(3), 9-31. https://doi.org/10.1590/S1415-65552005000300002
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Adriana Ventola Marra, Universidade Federal de Minas Gerais

Mestre em Administração pelo CEPEAD/UFMG. Professora da CEDAF/UFV. Suas áreas de interesse em pesquisa são: gestão universitária, dinâmica da função gerencial, estratégias gerenciais, cultura organizacional e administração rural.

Marlene Catarina de Oliveira Lopes Melo, Université de Paris IX

Doutora pela Université de Paris IX, Dauphine/França e professora/diretora da Faculdade Novos Horizontes. Suas áreas de interesse em pesquisa são: relações de poder e transformações dos sistemas de relações profissionais e de trabalho, organização do processo de trabalho e inovação tecnológica, condições de trabalho e saúde do trabalhador, dinâmica da função gerencial, estratégias do gerente e do empregado nas relações de trabalho, evolução dos modos de gestão e de regulação social nas organizações públicas, privadas e ONGs.