Carreiras e cidades: existiria um melhor lugar para se fazer carreira?



Artigo principal Conteúdo

MOISÉS BALASSIANO
ELVIRA CRUVINEL FERREIRA VENTURA
JOAQUIM RUBENS FONTES FILHO

Resumo

O objetivo do presente estudo é apresentar e discutir as principais mudanças no conceito de carreira. Duas diferentes abordagens são comparadas e contrastadas: a tradicional, com premissas voltadas eminentemente para as garantias de benefícios e segurança; e a moderna, segundo a qual o sucesso na carreira está associado à trajetória pessoal, expandindo-se o espaço de expressão para o campo pessoal, familiar e profissional, conforme Chanlat (1995), Martins (2001) e Hall (1996). De acordo com essa abordagem, surge o conceito de carreira proteana que, entre outros fatores, tem como características o aprendizado, o sucesso psicológico e a expansão da identidade, independentemente da profissão ou empresa escolhida. Assim, foi realizada uma pesquisa para identificar e ordenar as cidades, onde as dimensões dessa perspectiva de carreira se apresentam com maior intensidade. A referida pesquisa utilizou metodologia baseada em técnicas estatísticas, visando a definir e testar um conjunto de indicadores capazes de refletir as potencialidades locais, em face da teoria apresentada. Como resultado, foram ordenadas cem cidades, de acordo com critérios de inclusão, definidos para a pesquisa.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
BALASSIANO, M., VENTURA, E. C. F., & FONTES FILHO, J. R. (1). Carreiras e cidades: existiria um melhor lugar para se fazer carreira?. Revista De Administração Contemporânea, 8(3), 99-116. https://doi.org/10.1590/S1415-65552004000300006
Seção
Artigos
Biografia do Autor

MOISÉS BALASSIANO, University of Illinois

PhD em Psicologia Quantitativa pela University of Illinois em Urbana Champaign. Professor titular da Escola Brasileira de Administração Pública e Privada da Fundação Getúlio Vargas (FGV/EBAPE), Coordenador do Centro de Estudos de Carreiras da FGV/EBAPE e Consultor na área quantitativa e de pesquisa. Suas áreas de interesse em pesquisa são carreiras, teoria dos testes e análise multivariada.

ELVIRA CRUVINEL FERREIRA VENTURA, Fundação Getúlio Vargas

Doutoranda e Mestre em Administração pela Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas da Fundação Getúlio Vargas (FGV/EBAPE). Suas áreas de interesse em pesquisa são: Estudos Organizacionais (Responsabilidade Social das Organizações, Teoria Institucional, Campos e Discursos Organizacionais, Poder e Controle nas Organizações), Administração Pública e Recursos Humanos.

JOAQUIM RUBENS FONTES FILHO, Fundação Getúlio Vargas

Doutorando e Mestre em Administração Pública pela Escola Brasileira de Administração Pública e Privada da Fundação Getúlio Vargas (FGV/EBAPE), Mestre em Engenharia de Produção pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (COPPE/UFRJ) e Graduado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Professor colaborador da Fundação Getúlio Vargas. Suas áreas de interesse em pesquisa são carreiras, estratégia e governança corporativa.