Percurso semântico do tema empregabilidade: a (re)construção de parte da história de uma empresa de telefonia



Artigo principal Conteúdo

Alexandre de Pádua Carrieri
Amyra Moyzes Sarsur

Resumo

Este artigo é resultado de dez anos de pesquisa sobre as transformações das significações culturais em uma empresa do setor de telecomunicações. Na pesquisa, diversos percursos semânticos foram analisados. Para este trabalho, foi estudado o percurso discursivo do tema empregabilidade. Este tema foi escolhido partindo-se da idéia de que empregabilidade representaria uma estratégia adotada pela alta administração das empresas, no sentido de transferência da organização para o trabalhador da responsabilidade da não-contratação ou da demissão. Utilizando-se a Análise dos Discursos, foram analisadas cerca de cem entrevistas realizadas com gerentes e técnicos, empregados e exempregados, e efetuada análise documental da empresa pesquisada, estruturando-se o estudo do percurso discursivo do tema empregabilidade. No exame dos dados, observaram-se três fases de estruturação do tema: a primeira, somente como discurso da alta administração; a segunda, como tema compartilhado pela alta administração e pela gerência; e a terceira, como tema disseminado entre todos os atores organizacionais. Por fim, pode-se também observar que o percurso semântico da empregabilidade evidenciou o enfraquecimento progressivo do pacto da estabilidade-fidelidade dos empregados na empresa investigada.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Carrieri, A. de P., & Sarsur, A. M. (1). Percurso semântico do tema empregabilidade: a (re)construção de parte da história de uma empresa de telefonia. Revista De Administração Contemporânea, 8(1), 129-150. https://doi.org/10.1590/S1415-65552004000100007
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Alexandre de Pádua Carrieri, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutor em Administração pelo Centro de Pós-Graduação e Pesquisas em Administração (CEPEAD), da Faculdade de Ciências Econômicas (FACE), da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Professor Adjunto da Faculdade de Ciências Econômicas (FACE), da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Suas áreas de interesse em pesquisa são dimensão simbólica nas organizações e nas diferentes formas de gestão, discursos, culturas, identidades e imagens nas organizações, transformação nas organizações, gestão ambiental, gestão internacional.

Amyra Moyzes Sarsur, Universidade de São Paulo

Doutoranda em Administração pela Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA), da Universidade de São Paulo (USP). Mestre em Administração pelo Centro de Pós-Graduação e Pesquisas em Administração (CEPEAD), da Faculdade de Ciências Econômicas (FACE), da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Especialista em Recursos Humanos pela Faculdade de Ciências Gerenciais (UNA/CEPEDERH). Bacharel em Administração pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC/MG). Bacharel em Psicologia pelas Faculdades Integradas Newton Paiva (UNICENTRO Newton Paiva). Professora na Fundação Dom Cabral (FDC) e em Cursos de Pós-Graduação da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e Fundação João Pinheiro (FJP). Suas áreas de interesse em pesquisa são gestão nas organizações, gestão de recursos humanos, competências estratégicas e individuais.