Preditores individuais e situacionais de auto e heteroavaliação de impacto do treinamento no trabalho



Artigo principal Conteúdo

Pedro Paulo Murce Meneses
Gardênia Abbad

Resumo

Este estudo analisou o relacionamento entre características de treinamentos e suas clientelas, suporte à transferência e impacto do treinamento no trabalho. As amostras foram obtidas no Distrito Federal, junto a três organizações de médio e grande porte. A coleta de dados ocorria no primeiro dia de curso, quando eram aplicadas medidas de auto-eficácia, locus de controle e motivação para o treinamento, e entre um e três meses finalizados os cursos, momento em que eram aplicadas medidas de impacto do treinamento e de suporte à transferência. Estes instrumentos apresentaram índices psicométricos satisfatórios. Sobre a análise do relacionamento entre as variáveis mencionadas, somente suporte psicossocial percebido pelos participantes e auto-eficácia, e suporte psicossocial percebido pelas chefias e colegas de trabalho e quantidade de instrutores por turma, contribuíram, respectivamente, na explicação da variabilidade de auto e heteroavaliação de impacto do treinamento. Quando a variável critério foi heteroavaliação do impacto, nenhuma variável auto-referente contribuiu para a sua explicação. Talvez isso indique que a participação das variáveis na explicação do impacto se deva tão somente a natureza das medidas utilizadas. Sugere-se a diversificação da natureza de medidas utilizadas.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Meneses, P. P. M., & Abbad, G. (1). Preditores individuais e situacionais de auto e heteroavaliação de impacto do treinamento no trabalho. Revista De Administração Contemporânea, 7(spe), 185-204. https://doi.org/10.1590/S1415-65552003000500010
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Pedro Paulo Murce Meneses, Universidade de Brasília

Mestre em Psicologia e Doutorando em Psicologia na Universidade de Brasília. Consultor em Práticas de Gestão de Pessoal, com interesse em pesquisa nas áreas de avaliação de programas de T&D, seleção de pessoal, educação à distância.

Gardênia Abbad, Universidade de Brasília

Doutora em Psicologia pela Universidade de Brasília. Professora e Chefe do Departamento de Psicologia Social e do Trabalho do Instituto de Psicologia da Universidade de Brasília, além de Coordenadora de grupos de pesquisa sobre Avaliação de Programas de T&D. Suas áreas de interesse em pesquisa são avaliação de treinamento, avaliação de desempenho, educação à distância.