Editorial



Artigo principal Conteúdo

Herbert Kimura

Resumo

Temos a satisfação de apresentar a Edição Especial da Revista de Administração Contemporânea (RAC), com artigos da divisão de Marketing. A edição é composta por seis trabalhos que abordam diferentes temáticas e métodos em Administração. Os estudos incluem discussões teóricas e análises empíricas de diversas áreas de Marketing.

No primeiro artigo, Constituição de uma Comunidade Virtual de Marca no Lançamento de Novo Produto, Maribel Carvalho Suarez, Flavia Luzia Oliveira da Cunha Galindo, Vaclav Soukup Filho e Rafael Machado analisam “o processo de formação de uma comunidade em torno de uma marca antes do seu efetivo lançamento no mercado,” usando “o método netnográfico para investigar uma comunidade automotiva”.

Já o segundo artigo, Influência de Estresse, Materialismo e Autoestima na Compra Compulsiva de Adolescentes, de Fabiana Gama de Medeiros, Ionara Saraí Ferreira Nóbrega Diniz, Francisco José da Costa, Rita de Cássia Faria Pereira, estuda “o comportamento de compra compulsiva,” focando na compreensão dos “condicionantes oriundos dos níveis de autoestima, materialismo, estresse e prazer em comprar, especificamente de consumidores adolescentes”.

O terceiro artigo, Mensuração de Atitude: Proposição de um Protocolo de Elaboração de Escalas, de Rafael Lucian e Jairo Simião Dornelas, discute “um protocolo de construção de escalas de mensuração de atitude,” baseando-se na “reunião lógica de passos baseados em teóricos como Allport e Hartman (1925), Thurstone (1928), Likert (1932), Campbell e Fiske (1959) e Bock (1972)”.

No quarto artigo, Quando Forças Opostas Aumentam a Intenção de Compra? Foco Motivacional e Mensagens de Comunicação, Danielle Mantovani, Mariana Monfort Barboza, Juan José Camou Viacava e Paulo Henrique Muller Prado propõem que “em situações que exigem maior esforço cognitivo, nas quais o consumidor precisa de mais informações para decidir, dada a dificuldade da tarefa, as mensagens que apresentem foco regulatório motivacional contrário ao do consumidor serão mais persuasivas”.

O quinto artigo, A Contribuição da Produção Científica em Marketing para as Ciências Sociais, de Renato Hübner Barcelos e Carlos Alberto Vargas Rossi, analisa “as citações recebidas pelos onze principais periódicos de Marketing nos top journals das ciências sociais mais próximas - Administração, Economia e Finanças, Psicologia, Sociologia e Antropologia” e identifica “artigos, periódicos e temas de Marketing que mais têm tido impacto nessas áreas”.

Finalmente, o sexto artigo da edição, Impacto do Sistema de Controle sobre a Venda de Novos Produtos, de Valter Afonso Vieira, Juliano Domingues Silva, Sean Cassiolato Berbert e Valter da Silva Faia, estuda “o impacto do sistema de controle do vendedor na relação entre esforço de vendas e desempenho,” analisando-se as perspectivas de resultado e comportamento associadas ao sistema de controle.

Aproveitamos esta edição especial, destinada à área de marketing, para continuar a discussão de edições anteriores sobre desafios de editoração científica (Kimura, 2015a) e métricas de avaliação de journals e pesquisadores (Kimura, 2015b), trazendo agora alguns indicadores alternativos que incorporam na análise não somente citações em periódicos como também presença em mídias ou redes sociais.

Mais especificamente, considerando-se os avanços tecnológicos, medidas alternativas denominadas de altmetricsou scientometrics 2.0 estão sendo propostas. As altmetrics sugerem a substituição das tradicionais citações em journals por indicadores refletidos em ferramentas de redes sociais, como por exemplo, número de visualizações, downloads e curtir(likes) em blogs, Twitter, Mendeley, CiteULike (Bornmann & Haunschild, 2015Mingers & Leydesdorff, 2015), ResearchGate, Academia.edu (Ortega, 2015), etc.

é importante destacar que o monitoramento de desempenho de pesquisas realizadas na universidade tem aumentado nas últimas décadas (Thelwall & Wilson, 2014) e que citações são comumente utilizadas em avaliações formais e informais de acadêmicos (Baykoucheva, 2015Cole, 2000).

Assim, mais recentemente, as altmetrics, distinguindo-se dos indicadores bibliométricos tradicionais (Bornmann, 2014Gunn, 2013), estão ganhando força, implicando a avaliação da produção acadêmica a partir do estudo e da utilização de medidas fundamentadas no impacto que trabalhos geram em ambientes ou em ferramentas online(Priem, 2014).

Nesse contexto, a influência da produção científica pode ser mensurada pela opinião de uma maior audiência, incluindo profissionais, estudantes, agentes do governo e público geral interessado no tema do trabalho, não ficando restrita a pesquisadores (Adie, 2014Bornmann, 2014Hammarfelt, 2014) e não necessariamente sendo mensurada por meio de citações realizadas pelos pares.

Além disso, as altmetrics não se restringem a citações de artigos publicados em periódicos científicos, podendo, portanto, associar desempenho com uma maior variedade e diversidade de dados e resultados de pesquisa (Bornmann, 2014), como por exemplo, bancos de dados, software, algoritmos, slides de apresentação, etc. (Zahedi, Costas, & Wouters, 2014).

Bornmann (2014) fortalece o argumento da relevância das métricas alternativas, citando o caso da Elsevier, um dos principais publishers internacionais de journalscientíficos, que (a) fez uma parceria com a Altmetric, uma start-upcuja atividade envolve o monitoramento e a análise da atividade online associada à literatura acadêmica, e que (b) adquiriu o Mendeley, um sistema de gestão de referências.

A despeito de seus pontos positivos e do acompanhamento da tendência tecnológica, as altmetrics possuem também pontos de atenção. Por exemplo, de forma análoga às métricas tradicionais, as altmetrics estão sujeitas ao fato de que (a) não necessariamente o que é citado é lido, e que (b) existem diversas motivações para a citação, não necessariamente relacionadas com a influência intelectual (Bornmann, 2014Bornmann & Daniel, 2008).

Adicionalmente, críticas às altmetrics podem também ter fundamentação na baixa qualidade de dados coletados (Liu & Adie, 2013Priem, 2014), na maior possibilidade de manipulação de desempenho (Rousseau & Ye, 2013) e na falta de evidências empíricas amplas sobre sua validade e confiabilidade (Haustein, Peters, Sugimoto, Thelwall, & Larivière, 2014).

Apesar de diversos pontos a favor e pontos contra poderem ser levantados, as altmetrics estão sendo cada vez mais mensuradas, acompanhadas e consideradas na avaliação de impacto de artigos, de pesquisadores e de periódicos, podendo revolucionar a análise do impacto de trabalhos acadêmicos (Galligan & Dyas-Correia, 2013). As métricas tradicionais de índice h e de fator de impacto são importantes, todavia, autores e editores devem monitorar as tendências de avaliação da produção acadêmica, identificando estratégias para, respectivamente, aumentar a influência de suas pesquisas e de seus journals, levando-se em consideração também as altmetrics.

Desejamos a todos uma ótima leitura desta edição especial.



Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Kimura, H. (1). Editorial. Revista De Administração Contemporânea, 19(spe2), 1-1. https://doi.org/10.1590/1982-7849rac2015150213
Seção
Editorial