A ética dos alunos de administração e de economia no ensino superior



Artigo principal Conteúdo

Paulo Gama
Paulo Peixoto
Ana Maria Seixas
Filipe Almeida
Denise Esteves

Resumo

A fraude acadêmica cometida por alunos universitários é um problema de ordem institucional e social, com efeitos nocivos na eficiência do mercado de trabalho e comprometedores da confiança da sociedade nas organizações, especialmente grave no caso de futuros decisores gerenciais. O objetivo deste artigo é estudar a atitude dos alunos de administração e economia perante a fraude acadêmica, a sua percepção sobre a frequência desta, a gravidade que atribuem aos diferentes tipos de fraude, o que a motiva e o que a poderá inibir. É também apresentada uma nova tipologia de fraude acadêmica e são propostos dois novos indicadores que avaliam a predisposição para a fraude (IPF) e a predisposição para a denúncia (IPD). Empiricamente, foram inquiridos 1.276 alunos de instituições de ensino superior portuguesas, utilizando um questionário projetivo. Os resultados revelam a prevalência da fraude associada à avaliação por exame escrito e a significativa ausência de denúncia de fraude, destacando a transação de trabalhos acadêmicos como a prática mais condenável. O IPF é maior entre os piores alunos, e entre os que não se reconhecem no curso ou na instituição. O estudo revela, ainda, que o principal motivo para transgredir está relacionado com o sucesso acadêmico, e que o principal fator inibidor, com a dissuasão.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Gama, P., Peixoto, P., Seixas, A. M., Almeida, F., & Esteves, D. (1). A ética dos alunos de administração e de economia no ensino superior. Revista De Administração Contemporânea, 17(5), 620-641. https://doi.org/10.1590/S1415-65552013000500007
Seção
Artigos