Estrutura de Capital e Mecanismos de Governança Externos à Firma: Uma Análise Multipaís



Artigo principal Conteúdo

Flávia F. P. Mendonça
Henrique Castro Martins
Paulo R. S. Terra

Resumo

Esse estudo investiga em que medida os mecanismos de governança externos à firma afetam a alavancagem de uma amostra de 7.490 empresas de 40 países. O diferencial do estudo está na distinção entre os mecanismos que afetam a proteção dos acionistas minoritários daqueles que afetam os direitos dos credores. Os resultados sugerem que as empresas se alavancam de maneira coerente ao previsto pela Teoria da Pecking Order (POT). Observou-se que os mecanismos associados à proteção de ambas classes de investidores (i.e., acionistas e credores) influenciam significativamente a estrutura de capital das empresas. Quando a proteção é alta, as empresas tomam menos dívida. Os resultados mostraram-se robustos a diversas variações no modelo estudado e indicam que, quando a proteção aos investidores externos é maior, as firmas tomam menos dívida, possivelmente com a finalidade de restringir o papel monitorador da dívida sobre a discricionariedade dos insiders.



Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Mendonça, F. F. P., Martins, H. C., & Terra, P. R. S. (2019). Estrutura de Capital e Mecanismos de Governança Externos à Firma: Uma Análise Multipaís. Revista De Administração Contemporânea, 23(6), 765-785. https://doi.org/10.1590/1982-7849rac2019190109
Seção
Artigos